CRÍTICA CINECLUBEIESB: TEMPORADAS 2011/02 E 2012/01

É com grande prazer que trazemos à tona (fora o atraso!) mais uma rodada de críticas feitas pelos alunos/críticos que frequentam o nosso Cineclube. E é com grande prazer que noticiamos o visível amadurecimento dos mesmos, seja na forma com que problematizam história/estética/análise dos filmes, seja na capacidade de observarem e apontarem problemas novos em … Continue reading

CRÍTICAS #CINECLUBEIESB: Tetsuo the Iron Man; A Festa da Menina Morta; Mother

Repassando nossa variada temporada passado, trazemos enfim à tona três textos produzidos por nossos talentosos e antenados alunos a respeito de alguns dos filmes mais instigantes exibidos. Como aperitivo para o que está por vir nesta temporada 2011/01, podemos entender que nossa produção prima não apenas pelo conhecimento dos contextos que norteiam especificamente estes filmes, … Continue reading

Tiago Mata Machado: o lúdico cinefílico

Independente de adjetivos que abonem ou desqualifiquem O Quadrado de Joana, primeiro longa de Tiago da Mata Machado, é um filme que vem para preencher um grande vazio do cinema brasileiro contemporâneo, especialmente em se tratando de longas metragens: a falta de um cinema e de cineastas que travem com seu próprio meio uma relação de … Continue reading

#Texto – Seminário 25/11: Da Juventude Transviada a Juventude Plugada

Texto de Bruno Campos sobre o seminário “Da juventude transviada à juventude plugada: (Re) atualização da linguagem cinematográfica e conquista de novos atores e públicos” que rolou hoje no Kubitscheck Plaza. E vambora! Tânia Montoro, professora e pesquisa Dora da Universidade de Brasília, coordenou o seminário realizado nessa sexta-feira, 25 de novembro, no Kubitscheck Plaza … Continue reading

#Texto – Debate no Kubitschek Plaza: A New Hope

Episódio 43 – ‘A new hope’ Quarta-feira, 24 de Novembro, Brasília, Kubitschek Plaza, dez e pouco da manhã. Sentam-se Vladimir Carvalho, Ana Cristina Costa e Silva, Renato Barbieri, João Paulo Procópio, Douro Moura e Tâmara Habka diante de algumas pessoas e começam a discutir os rumos do audiovisual no DF. Seus argumentos para justificar tal … Continue reading